Analisando essa cadeia hereditária

A citação de hoje é da série norte-americana Atlanta, estrelada por Donald Glover. Nela, é contada a história de dois primos tentando alcançar o sucesso no cenário do rap em Atlanta e mudar suas vidas.

Veja a passagem que separei:

photo_2019-04-29_09-30-47

A frase ilustra muito bem a realidade do desequilíbrio na distribuição de renda. A pobreza é como um ciclo vicioso, sustentado na falta de recursos para as necessidades básicas (e para ir além delas), pela falta de Educação Financeira e pela cultura sócio-governamental de migalhas, que mantém as pessoas reféns de pouco para sobreviver enquanto dá uma imagem negativa à mudança de suas vidas. Como podemos compartilhar privilégios, nesse contexto?

Em primeiro lugar, não pela rapidez, mas pelo efeito eficiente e duradouro, podemos nos engajar para que o acesso à educação seja facilitado. Iniciativas como apadrinhamento, onde você auxilia financeiramente a educação de alguém, oferecer cursos em uma área de sua expertise, escrever blogs, livros para distribuição ou simplesmente dar suporte a escolas comunitárias são formas de mudar a vida de parte de algumas gerações. A filantropia também é fundamental, pois as pessoas precisam comer, precisam cuidar da saúde e estar bem para receber a educação. A doação é importante, principalmente se também nos preocuparmos com a saúde mental de quem recebe, para que a ajuda seja revertida em melhora na vida da pessoa em primeiro lugar.

Por último, deixo como apelo uma reflexão sobre a situação de sociedade em que nos encontramos. Precisamos rever nossas atitudes e prioridades. Um governo inconsistente, corrupto e ineficaz reflete também a população corrupta, estratificada e com uma relação de poder injusta. A abordagem do problema é de baixo para cima, e requer alto engajamento. Acredito que nós, possuindo acesso a informação, educação, meios de comunicação e consequentemente munidos com um pouco mais de voz, devemos empregar os nossos privilégios em fazer a nossa parte.