Você já deve ter ouvido, em algum momento, que os opostos se atraem. Seja numa aula de física, físico-química ou enquanto ouvia sobre algum relacionamento, esse ditado se fez presente quando duas coisas ou pessoas bastante diferentes demonstravam os efeitos de sua interação.

Neste estudo, podemos observar que a não-crença nesse ditado é muito baixa, em torno de apenas 20% do montante de pessoas. Então, seria este o caso onde a maioria está errada?

Bom, tentar ditar sobre o certo ou errado não é o objetivo do artigo. Apesar do título do estudo ser bem claro em tratar como equívoco, o que eu vim debater tem muito mais a ver com a nossa cognição sobre as relações do que sobre que tipos de pessoa dão match.

Categorizar personalidades de forma Junguiana não é exatamente a melhor forma de falar da natureza humana, dado que eu não entendo o bastante da área, mas vou utilizar algumas perspectivas para exemplificar de forma geral os pontos da discussão.

Considerando duas pessoas com características emocionais opostas em torno de dependência: uma tem sede por autonomia, a outra prefere não tomar as rédeas de suas responsabilidades. Um relacionamento entre as duas tende a não confluir, dado que, muito provavelmente, as ações, planos, interesses e satisfações de cada indivíduo são divergentes.

Considere agora duas pessoas com características complementares, por exemplo: uma gosta que os outros façam por ela e cuidem das coisas ao seu redor, tirando responsabilidades e preocupações de suas mãos. A outra gosta de ser proativa e cuidar dos outros. Uma é uma ótima companhia para a outra, dado que dois proativos tendem a precisar de um esforço em busca de um consenso de como as responsabilidades podem ser dividas em esforços proporcionais e sem um comando principal. E também, dado que duas pessoas que gostam de ser cuidadas acabariam frustradas esperando que um se movesse para fazer as coisas pelo outro.

Então nem semelhantes nem opostos podem conviver bem?

A realidade é que, com boa vontade e compreensão, existem muitos meios para personalidades incompatíveis se tolerarem melhor. Comunicação e empatia são capazes de resolver bastante conflitos.

De fato, algumas personalidades são incompatíveis demais e o melhor para estas é a distância.

Finalmente, disso tudo, percebo que para todos os casos, nos dispor para compreender, fazer acordos, estabelecer limites sem deixar de se doar e buscar o equilíbrio e respeito são as ferramentas mais poderosas para fortalecer atrações e manter ligações, sejam elas simples ou peculiares. E se nada disso der certo, ter a sabedoria de desconectá-las com o mínimo de destruição e o máximo de responsabilidade possíveis.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s