Recentemente, abrimos no nosso Instagram algumas stories para nossos seguidores mandarem algumas dúvidas sobre investimentos em geral. Notei que os mais iniciantes ainda têm algumas dúvidas sobre a ideia geral de investir, poupar dinheiro e sobre os produtos disponíveis no mercado atualmente. Hoje irei te mostrar alguns mitos e uma verdade sobre investimentos que podem te ajudar nesse início de jornada.

É muito importante saber que não existe regra exata nos investimentos, não é preto no branco. O que pode ser bom pra mim, pode não ser bom para você e vice-versa. Quem já leu as minhas respostas nas dúvidas dos stories, nota que começo uma resposta com “depende” várias vezes.

Não é porque eu não quero responder, é que realmente depende do ponto de vista.

Mais importante ainda é começar o seu aprendizado sem ler ideias repetidas e respostas prontas. Hoje vou te mostrar alguns mitos e verdades (alguns deles até comuns em artigos parecidos em sites de investimento e Educação Financeira), e também vou te mostrar o porquê que esses mitos são tão arraigados na nossa cultura.

Mitos

1. É necessário ter muito dinheiro para investir

Sem dúvida alguma, sempre está no topo da lista de “mitos dos investimentos”, sempre é dito que qualquer um pode investir no Tesouro Direto com apenas R$30 e há outros investimentos disponíveis com baixa aplicação inicial disponíveis. Mas nunca respondem o motivo desse mito. Vou te mostrar o que eu acho.

Passamos um período de 14 anos (1980 – 1994) com hiperinflação no Brasil, em 1993 a inflação foi de 2.477,77% ao ano. O dinheiro virava pó em questão de dias. O salário não valia nada no final do mês, não adiantava guardar dinheiro, ele não tinha valor. O mais correto era gastar tudo o mais rápido possível para conseguir comprar comida no mercado, não existia o hábito de poupar.

Por conta desse período de crise muito duradouro, herdamos alguns hábitos criados na época: fazer feiras gigantes para o mês todo, transferências bancária rápidas e eficientes (tinha que ser rápido, dois dias depois o dinheiro valia muito menos), gastar tudo que se ganha, e investir em imóveis.

Por que imóveis? Porque são investimentos físicos. O dinheiro (papel) pode não ter valor, mas um imóvel (casa, apartamento, terreno, fazenda ou ponto comercial) sempre terá, independentemente da moeda corrente. Você acha que era qualquer pessoa que poderia comprar um terreno ou uma casa naquela época? Assim como hoje, apenas pessoas com uma boa quantidade de dinheiro poderiam investir nestes produtos.

Essa percepção criou a imagem que alguns têm hoje em dia que apenas as pessoas muito ricas é que conseguem investir. Achando que é necessário ter uma rede imobiliária para ganhar dinheiro.

Curiosidade: Assim como imóveis, muita gente também gosta de comprar ouro para se proteger das recessões e crises.

Hoje, o hábito de investir está muito mais democratizado, a inflação sob relativo controle e há uma infinidade de produtos disponíveis para qualquer investidor. É possível comprar títulos da dívida brasileira, ser credor de empresas privadas e até mesmo investir em ações com muito pouco dinheiro. O melhor de tudo isso é que o conhecimento sobre estes investimentos nunca esteve tão fácil de ser acessado.

2. Renda Fixa é investimento conservador e Renda Variável é investimento arriscado

Um dos nossos seguidores perguntou o que eram investimentos dados como “conservadores” e investimentos “arriscados”. É muito comum ver por aí pessoas falando que investimento em Renda Fixa (Poupança, Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA ou Debêntures) são conservadores e investimentos em Renda Variável (Ações ou Fundos de Investimentos Imobiliários) são arriscados, porque é possível perder dinheiro neles.

Mas eu pensei um pouco sobre isso antes de responder a pergunta no Instagram. E cheguei à conclusão que o risco do investimento é proporcional ao seu conhecimento sobre ele.

Para uma pessoa que ainda não tem conhecimento sobre qualquer investimento, até o Tesouro Direto é  muito arriscado, simplesmente porque ela não conhece nada sobre. Imagine um iniciante saber que é possível perder dinheiro no Tesouro Direto? Ele nunca vai estudar sobre isso, vai continuar na Poupança, onde o risco é muito menor.

Mal sabe ele que o Tesouro Direto é um investimento muito mais seguro que a Poupança.

Eu achava que investir em Ações era um investimento arriscado. Hoje, depois de muito estudo, estou confortável em fazer este tipo de investimento. Mais até do que investir em Debêntures (um investimento de Renda Fixa), já que conheço muito pouco sobre este produto.

Então, respondi: “Investimento arriscado é aquele que você não conhece. Ou aquele que não querem que você aprenda. Investimento conservador é aquele que você mais sabe”.

Não acredite que Renda Fixa é sempre conservadora e Renda Variável é sempre arriscada. Lembre-se: depende do ponto de vista.

3. Para ter dinheiro, tem que deixar de gastar no que gosta

Esse é outro mito clássico. Muita gente ainda acha que pra ficar rico tem que obrigatoriamente deixar de tomar o cafézinho da tarde ou deixar de sair com os amigos.

Não há como negar: ao fazer isso, você terá mais dinheiro no bolso. Mas, a menos que você esteja extremamente focado em pagar alguma dívida ou comprar algo realmente essencial para sua vida, isso pode ser impraticável no longo prazo. O preço pago pela sua qualidade de vida poderá não compensar as centenas de reais que você economizará no ano.

Se você estiver disposto a fazer isso pelos próximos 40 anos, excelente! Mas tem gente que não consegue. Mais uma vez: Educação Financeira não é preto no branco.

Organizar suas finanças para saber o quanto poderá investir, onde poderá cortar e até mesmo onde poderá gastar mais, é um excelente primeiro passo para a sua jornada de crescimento financeiro.

E, caso queria aumentar seu patrimônio, eu mostro qual é a melhor maneira neste artigo.

Verdade

1. Investir é para qualquer um

Sim! Essa é a maior verdade do universo dos investimentos. Tesouro Direto, Fundos de Investimentos e Ações exigem apenas que o investidor tenha CPF válido e conta em um banco ou em corretora de valores. Até menores de idade podem investir sem problemas nos mais variados produtos disponíveis no mercado financeiro brasileiro, precisam apenas de um documento de autorização dos pais ou responsáveis.

Criar uma conta na corretora é gratuito, não precisa pagar nenhuma taxa mensal, e não há limite de transferência e saque. O mercado das corretoras é muito mais concorrido do que o bancário, então praticamente todas as taxas dos investimentos mais “simples” são zeradas.

O conhecimento também nunca esteve tão fácil de ser acessado: livros, aulas, artigos, posts ou cursos. Tudo isso está disponível para ser consumido, tem opções gratuitas e pagas. Aqui mesmo no blog já ensinamos sobre Tesouro Direto, Títulos Privados, Reserva de Emergência, uso consciente do cartão de crédito, e vários outros tópicos (basta procurar na seção “Passeio na Feira”).

Portanto, tenha em mente esses mitos dos investimentos ao começar sua jornada, não acredite em respostas prontas que são propagadas facilmente por aí. Saiba que o que é bom para os outros pode não ser bom para você.

Até o próximo artigo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s