Há muito tempo não falamos de Tim Ferriss. Hoje vou comentar sobre uma passagem que ele fala em uma de suas palestra no TED sobre como seus medos podem ser mais importantes que os seus objetivos, se utilizados da maneira correta.

Eu escutei Tim Ferriss pela primeira vez quando estava procurando “dicas para fazer podcast” em um vídeo que ele mostra o equipamento de gravação que utiliza para suas entrevistas, não tinha a mínima ideia que ele era o autor do livro “Trabalhe 4 horas por semana”, tampouco sabia que já foi campeão mundial de kickboxing.

Rapidamente, ele conseguiu chegar no meu patamar pessoal de “tenho que escutar tudo o que ele tem a dizer”. Já fiz journaling (uma espécie de diário), meditei, li alguns livros recomendados (inclusive dados de graça por ele), vi dicas de vida saudável, palestras, entrevistas, reflexões de vida, etc. tudo por causa de Tim. O meu material preferido dele é o “Tea time with Tim”, o podcast que ele liga para seus seguidores e dá uma “consultoria grátis” em qualquer área da vida profissional e pessoal. Ainda não adquiri nenhum de seus livros, que são verdadeiros tijolos, estou tentando dar vazão aos que comprei e ainda não li.

A passagem de hoje foi retirada do finalzinho de sua segunda palestra no TED, chamada de “Why you should define your fears instead of your goals” (Porque você deveria definir seus medos e não seus objetivos). Após falar sobre um senhor de 62 anos tetracampeão mundial de levantamento de peso, refugiado político e poeta,  Tim afirma que o colocaria entre as 10 pessoas mais felizes, entre as mais de 10.000, que já conheceu. Concluindo os comentários com a seguinte frase:

“Os maiores desafios e problemas que encaramos nunca serão solucionados com conversas confortáveis, seja dentro da nossa cabeça ou com outras pessoas.”

Veja que o próprio título da palestra é um pouco chocante, nós sempre aprendemos que devemos guiar nossa vida pelos nossos objetivos: ter um bom emprego, formar uma família, morar em uma cidade melhor, etc. e que os nossos medos foram “feitos” para nos estagnar na vida: medo de falhar, de receber “não”, de ficar sozinho, do desemprego e até mesmo da pobreza extrema nos fazem ter medo de arriscar fazer coisas novas.

O que Tim propõe é usarmos nossos medos para guiar as nossas decisões na vida. E ensina uma técnica para tal (entrarei em mais detalhes em outro artigo futuro). Porém, para utilizar esta técnica, você precisará bater na porta dos lugares mais obscuros da sua mente, lugares que talvez você não queira entrar.

Isso não é fácil, você passa longe da sua zona de conforto, confronta seu passado, revive momentos que não queria reviver. Contudo, esse é o preço a ser pago para crescer diante de desafios.

Tim afirma que não consideramos o preço da estagnação no médio e longo prazo causado pelas escolhas que não tomamos por causa dos nossos medos.

Quantas vezes já vacilamos por ter medo dos resultados que uma escolha poderia causar?

Quantas vezes nos abstemos de uma escolha por medo de escolher qualquer coisa?

Se estiver estagnado diante de um desafio, comece a ter conversas realmente desconfortáveis dentro da sua cabeça. São elas que te farão amadurecer e crescer.

(Imagem de capa retirada do site oficial de Tim)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s