Na terceira parte da nossa série especial sobre Tesouro Direto, iremos mostrar como funciona o título Tesouro Prefixado em detalhes. Se você não leu os demais artigos da série, recomendo fortemente que o faça antes de seguir a leitura. No primeiro explicamos os termos e conceitos técnicos dessa modalidade de investimento e, no segundo, falamos especificamente sobre o Tesouro Selic.

Visão Geral

Como o próprio nome sugere, esse título já mostra ao investidor exatamente quanto irá render do momento da compra até a data do vencimento. Nesse caso, a rentabilidade não está diretamente atrelada a nenhuma taxa flutuante do mercado (Selic ou IPCA, por exemplo). De acordo com o site oficial do TD, para cada unidade (100%) de título, o valor bruto a ser recebido no vencimento será de R$1.000,00. Por isso que falamos que o Tesouro Prefixado é um “Vale R$1.000,00”.

Ainda de acordo com o site, é um investimento indicado caso você acredite que a taxa prefixada do título será maior que a taxa básica de juros do país (Selic). Lembrando que, no momento em que esse artigo é escrito, a taxa Selic está no seu menor valor histórico há um bom tempo, 6,5% ao ano.

Veja a simulação abaixo feita com a Calculadora do Tesouro Direto para simular uma compra de uma unidade (100%) do título Tesouro Prefixado 2025:

Screen Shot 2019-02-20 at 13.49.44.png
Dados de compra do título no momento em que esse artigo está sendo escrito.
Screen Shot 2019-02-20 at 13.49.52.png
Veja que o investidor receberia exatamente R$1.000,00 brutos no dia do vencimento.

Esse é um dos títulos que tem duas modalidades de pagamento. Na modalidade “Tesouro Prefixado”, o investidor recebe o dinheiro de volta apenas na data de vencimento do título (caso não o venda antecipadamente). Já na modalidade com “Juros Semestrais”, o investidor receberá os “cupons de juros” na conta da corretora a cada seis meses, até a data de vencimento. Ao final do artigo falarei em mais detalhes sobre o pagamento de juros semestrais.

Screen Shot 2019-02-23 at 16.10.21.png

Fluxo de pagamento do Tesouro Prefixado simples.

Entendendo a rentabilidade

A taxa contratada no momento da compra é apresentada ao investidor de forma anual. Como já foi dito nos outros artigos, essa taxa só é válida se você mantiver o título até o vencimento. É dada pela diferença entre o preço de compra do título e seu valor nominal (valor de face) no vencimento, sempre R$ 1.000,00 (Fonte: Site oficial do TD).

Screen Shot 2019-02-23 at 16.23.15

Títulos disponíveis para compra no momento em que este artigo está sendo escrito.

Apesar da rentabilidade desse título não depender do valor da Selic (já que é prefixado), a definição valor do rendimento anual na hora da compra sofre influência da taxa básica. A rentabilidade prefixada é composta por: Selic + risco. Veja que todas as rentabilidades da imagem acima são maiores que a taxa Selic, pois investir nesse título envolve mais riscos, seja o risco da inflação subir, o “Risco Brasil” ou até incertezas na economia. Portanto, há uma premiação para o investidor que aceitar esses riscos.

Gosto de imaginar a forma de rentabilidade desse título como uma equação, ou ainda, uma balança. O resultado dessa equação deverá ser sempre 1.000. Então, os preços de compra e taxa de juros deverão se modificar para que o valor final seja sempre 1.000.

Como mostrei acima, a taxa de juros do Tesouro Prefixado sofre influência da taxa Selic. Se a Selic estiver alta, a taxa aumenta e o preço diminui. Se a Selic estiver baixa, a taxa diminui e o preço aumenta.

Entender isso é crucial para investir no Tesouro Prefixado.

Vou citar um trecho do livro “Investimentos que rendem mais“, de Leandro Ávila, que diz:

Quando os juros estão aumentando; o preço atual do Tesouro Prefixado diminui;

Quando os juros estão diminuindo; o preço atual do Tesouro Prefixado aumenta.

Se a taxa de juros está baixa por conta de um menor risco de mercado, baixa inflação ou baixa incerteza na economia, o preço do título precisa ser maior para chegar aos R$1.000,00 na data de vencimento. Se o cenário econômico for de incertezas e maiores riscos, os investidores só aceitarão investir no Tesouro Prefixado se a taxa for mais alta, portanto o preço do título poderá diminuir para chegar nos R$1.000,00 na data de vencimento.

Por isso que o preço do título com vencimento em 2022 da imagem acima é menor que o do título com vencimento em 2025, pois este tem mais tempo para chegar nos R$1.000,00.

Esse é um ponto que gera bastante dúvidas nos investidores iniciantes. Se você tiver alguma, escreva na área de comentários que responderemos.

Entendendo os dados de compra

Screen Shot 2019-02-23 at 16.23.15

  • Título:
    • Nome do título com seu respectivo ano de vencimento;
  • Vencimento:
    • Data exata de vencimento do título, ou seja, data que o Tesouro pagará os R$1.000,00 para cada unidade que o investidor possuir;
  • Taxa de Rendimento (% a.a.):
    • No caso do Tesouro Prefixado, essa é a rentabilidade bruta do título, em formato anual;
    • Não há incidência de ágio e deságio.
  • Valor Mínimo:
    • É possível comprar porcentagens de um título, sendo a menor possível a de 1%, e respeitando o mínimo de R$30. Nesse caso, como o valor de 100% de um título é R$810,36, o menor valor para investimento é 0,01 x 810,36 = 8,10, mas como não respeita o valor mínimo de R$30, o menor valor para investir é de R$32,41;
    • Se você quiser comprar 73% de um título, basta calcular: 0,73 x 810,36 = 591,96;
    • Ou ainda se quiser comprar 50,5% de um título: 0,505 x 616,14 = 311,15.
  • Preço unitário:
    • Preço de compra de 100% do título.

Simulando uma aplicação

Utilizamos acima a Calculadora do Tesouro Direto, agora iremos simular a aplicação usando o Simulador do Tesouro Direto. Vamos ao passo a passo:

Clique no botão do lado inferior direito para simular uma aplicação:

Screen Shot 2019-02-09 at 16.05.59

Em seguida, clique no botão ao lado de “Tesouro Prefixado 2022” na tabela que irá aparecer na sua tela. Para um resumo de informações do título, clique no “i” que fica à direita do nome do título. Logo depois, clique em “Simular” na barra inferior.

Screen Shot 2019-02-23 at 16.40.17.png

Nesse exemplo, irei mostrar quanto rende uma aplicação de R$1.000,00 até o vencimento. Portanto, clique em “Informe quanto você quer investir hoje”. Se você tem algum objetivo em mente para uso do dinheiro no vencimento do título (carro, viagem, curso, imóvel, etc.), clique em “Informe quanto você quer resgatar no futuro”.

Screen Shot 2019-02-23 at 16.43.11.png

Na próxima tela, você poderá simular um aporte inicial e aportes mensais até o vencimento do título. Para o nosso exemplo, iremos preencher apenas o campo “Valor Inicial” com 1.000,00 e clicar em “Calcular”.

Screen Shot 2019-02-23 at 16.44.00.png

Agora veremos o resultado da simulação na tela que será exibida.

Screen Shot 2019-02-23 at 16.49.39.png

Desta vez não clicaremos em “Ver e/ou alterar parâmetros”, pois só é possível comparar com investimentos pós-fixados. Na minha opinião, não faz sentido comparar investimentos prefixados com pós-fixados. Mas, se for do seu interesse, é fácil achar ferramentas para simular CDB e LCI/LCA pré e pós-fixados na internet e compará-los com a simulação do tesouro.

A imagem abaixo mostra a simulação detalhada:

Screen Shot 2019-02-23 at 16.49.48.png

Ao investir R$1.000 ,00 nas condições descritas, o investidor teria R$1.190,34 depositados na sua conta na data de vencimento.

Venda antecipada

Diferentemente do Tesouro Selic, o Tesouro Prefixado é um título com preço muito volátil e o investidor iniciante pode se desesperar com rentabilidade negativa durante o período de investimento.

Lembre-se: o investidor receberá exatamente a rentabilidade contratada na compra quando o dia do vencimento chegar. Até lá, a rentabilidade contratada não vale nada!

Se você tiver a impressão de que seu dinheiro está indo pelo ralo, não se preocupe, é apenas a variação do preço de venda do título. Essa variação tenderá a zero quanto mais perto o título estiver do vencimento. Por outro lado, o investidor poderá se deparar com uma rentabilidade muito maior do que a contratada. Veja a imagem abaixo:

Screen Shot 2019-02-20 at 19.17.05.png

A linha verde é imaginária, informando ao investidor quanto seu dinheiro estaria rendendo pela rentabilidade contratada diariamente. A linha azul mostra o preço de venda do título em uma determinada data (eixo horizontal). As duas linhas irão obrigatoriamente se encontrar na data de vencimento (no caso do Tesouro Selic, as duas linhas sempre andam juntas, com baixa volatilidade).

Se o investidor vendeu o seu título antecipadamente no período do círculo azul, ele vendeu exatamente pelo preço esperado naquele momento, de acordo com a rentabilidade teórica do título. Se o investidor se desesperou e vendeu seu título no momento do círculo vermelho, ele teve uma rentabilidade abaixo da taxa contratada e o preço de venda foi menor que o esperado (nesse caso não foi menor que o investido inicialmente, mas nada impede que seja). Finalmente, se o investidor vendeu o título durante o círculo verde, ele recebeu uma rentabilidade muito maior do que a contratada.

É assim que os especuladores (não há nada de errado em ser especulador) do TD ganham muito dinheiro, e cobram fortunas para ensinar! Veja a tabela de rentabilidades abaixo:

Screen Shot 2019-02-23 at 17.46.26.png

Quem comprou o Tesouro Prefixado 2025 em Jan/2018 e vendeu em Jan/2019 teve ganhos de 15,79%, bem acima do contratado! (Imagem: Tesouro Direto)

Importante: As taxas na tabela acima valem apenas em caso de venda antecipada. Os títulos mantidos até a de vencimento têm garantida a rentabilidade contratada no momento da compra. Por fim, rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.

Por isso é tão importante estudar sobre investimentos, é necessário saber o melhor momento de investir em determinados títulos. Você colocaria sua reserva de emergência em um título com risco de rentabilidade negativa? Você colocaria o dinheiro para comprar seu carro em 2020 em um Tesouro Prefixado 2025? Você especularia no TD sem ter conhecimento sólido sobre cada título?

Pagamento de juros semestrais

Essa modalidade de investimento faz pagamentos semestrais ao investidor. É recomendado para quem deseja complementar a renda com os juros recebidos duas vezes ao ano. Segundo o site oficial do TD, diferentemente do título Tesouro Prefixado, os pagamentos semestrais, nesse caso, representam uma antecipação da rentabilidade contratada. E ainda: no pagamento desses rendimentos semestrais há incidência de imposto de renda (IR), obedecendo a tabela regressiva.

Screen Shot 2019-03-09 at 14.39.31.png
Fluxo de pagamento do Tesouro Prefixado com Juros semestrais.

 

O pagamento segue o calendário do Tesouro Direto, os juros deste título são pagos em 01/Janeiro e 01/Julho de todos os anos até o vencimento. O próprio TD não recomenda esse título caso você deseje reinvestir os juros recebidos, pois há incidência de IR em todos os pagamentos, sendo melhor investir em títulos da modalidade simples. Não é recomendado também se você estiver na fase de acumulação de riqueza, pois os juros compostos perdem efeito a cada evento de pagamento, e também por causa do IR. Porém, se você estiver na fase de aproveitamento do dinheiro ou renda passiva, vale a pena estudar em mais detalhes como funciona esse título, para isso, eu recomendo a leitura desse documento.

De maneira geral, a cada 100% de um título que um investidor possui, ele receberá R$48,81 brutos a cada 6 meses de investimento (se possuir 50% de um título, irá receber R$24,40 e assim por diante) até a data de vencimento, quando ele receberá os R$1.000,00 brutos e o último pagamento. Isso explica porque esse título é um pouco mais caro que o de pagamento simples, veja abaixo:

Screen Shot 2019-02-23 at 17.32.08.png

Até 01/01/2029, o investidor irá receber R$48,81 brutos semestralmente por unidade do título.
Resumo
  • Mantendo o título até o vencimento, você receberá R$1.000,00 para cada unidade (100%) que possuir;
  • Recomendado para períodos em que a taxa básica de juros esteja em tendência de queda;
  • Não recomendado para reservas de emergência;
  • Há títulos com fluxo de pagamento simples (apenas no vencimento) ou semestral, seguindo o calendário do Tesouro Nacional;
  • Em caso de venda antecipada, o Tesouro Nacional pagará o valor de mercado, a rentabilidade poderá ser maior ou menor do que a contratada, dependendo do preço do título no momento da venda;
  • O preço do título sofre influência direta das incertezas da economia e expectativa da taxas de juros e inflação;
  • A modalidade de juros semestrais é indicada para quem deseja utilizar os rendimentos para complementar a renda a partir do momento da aplicação;
  • Os pagamentos semestrais representam uma antecipação da rentabilidade contratada e tem valor fixo de R$48,81 brutos.

Se você gostou dessa publicação e gostaria de manter os autores do blog motivados a continuar semeando conhecimento, compartilhe nossas postagens com seus amigos e familiares! Também é possível nos seguir no Twitter (@sovandoamassa), no Instagram (@sovandoamassa) e no WordPress!

E se você tiver dúvidas, poste aqui nos comentários ou nos mande e-mail que nós te responderemos 🙂

O próximo artigo da série será sobre Tesouro IPCA+. Até lá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s