Theodore Roosevelt foi o 26º presidente dos Estados Unidos, ele era militar, explorador e naturalista. Era do Partido Republicano e foi uma das principais figuras durante o início do século XX, ganhando um Nobel da Paz em 1906, o primeiro estadunidense a conseguir esse feito, por promover o tratado de paz na guerra russo-japonesa.

Em 1910, proferiu um discurso em Paris conhecido como “Citzenship in a Republic”,  em tradução livre, “Cidadania em uma República”. O discurso completo tem cerca de 35 páginas e tem duração de aproximadamente 60 minutos. Porém, o trecho mais famoso mundialmente é esse que trago para vocês logo abaixo, que ficou conhecido como “The Man in the Arena“:

It is not the critic who counts; not the man who points out how the strong man stumbles, or where the doer of deeds could have done them better. The credit belongs to the man who is actually in the arena, whose face is marred by dust and sweat and blood; who strives valiantly; who errs, who comes short again and again, because there is no effort without error and shortcoming; but who does actually strive to do the deeds; who knows great enthusiasms, the great devotions; who spends himself in a worthy cause; who at the best knows in the end the triumph of high achievement, and who at the worst, if he fails, at least fails while daring greatly, so that his place shall never be with those cold and timid souls who neither know victory nor defeat.

Se desejar ler uma versão em Português, peguei essa tradução da Wikipédia:

Não é o crítico que importa; não é aquele que aponta como o homem forte fraqueja, ou onde aqueles que realizaram algo poderiam tê-lo feito melhor. O crédito pertence ao homem que encontra-se na arena, cuja face está manchada de poeira, suor e sangue; aquele que esforça-se bravamente; que erra, que se depara com um revés após o outro, pois não há esforço sem erros e falhas; aquele que esforça-se para lograr suas ações, que conhece grande entusiasmo, grandes devoções, que se entrega à uma causa nobre; que, no melhor dos casos, conhece no fim o triunfo da realização grandiosa, e quem, que no pior dos casos, se falhar, ao menos falha ousando grandeza, para que seu lugar jamais seja com aquelas frias e tímidas almas que não conhecem vitória ou fracasso.

Quem está profundamente envolvido em alguma situação ou problema que necessita de coragem, habilidade e resiliência, pode ser considerado um “Homem na Arena” e, mesmo se falhar, falhará com grandeza, adquirido aprendizado e know-how, e logo se reerguerá para a luta novamente, até chegar no triunfo da realização grandiosa.

Se você é uma pessoa que apenas aponta erros nos outros, faz corpo mole, não coloca a “mão na massa”, não tenta melhorar através dos problemas, nunca saiu da zona de conforto e não dá o seu melhor você é apenas um crítico, um apontador de falhas e culpas. Só quem está na arena lutando é que importa, não os figurantes.

No próximo artigo, mostraremos a você que é possível obter R$1.000.000,00 em dinheiro apenas investindo um pouco por mês e com paciência.

Um comentário em “Roosevelt e o Homem na Arena

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s